sexta-feira, maio 27, 2011

Humana

A vida não tem válvula de escape. 
Se a deixarmos não voltaremos mais...

Sou humana, erro demais. E quem não erra ?

Mas é que eu só queria que alguém ( todo mundo ) soubesse e entendesse que nada é como a gente quer.

E eu não vou chorar, não vou espernear, muito menos gritar.
O tempo passa, as coisas mudam de lugar, as pessoas mudam também...
Eu NUNCA serei a mesma sempre, estou em constante mudança.
Quem nunca mudou um pensamento não é humano.


Sou humana.

Tenho tendência a errar, mas também sei e posso corrigir quando quero.

E se não for pra ser assim, se for pra ser perfeita, que não seja ! 



' Exigimos demais, agimos de menos... '


quarta-feira, maio 25, 2011

Never Alone

Ninguém vive sozinho


Um braço não abraça 

Um lábio não beija 

Sozinho não se vai a lugar algum.
Compartilhar é a palavra chave.

Nós precisamos precisar de alguém...

E eu preciso saber se você precisa de mim

O quanto eu preciso de você ! 



... E para que sempre andemos num mesmo caminho ...

terça-feira, maio 24, 2011

Infinitas

São tantas palavras !
Absorvo algumas
Extraio outras
Numa soma e subtração
Com produtos diferentes...



Mas há algumas que não compreendo...




domingo, maio 22, 2011

Incompleto

Nada é completo... sempre falta alguma coisa pra preencher.
Como num quebra cabeças e a peça está perdida
Como numa roupa remendada com outro tecido

Me falta algo.

E essa saudade acaba por dizer...

E essa dor que não morre quando estou longe de vocês...


sábado, maio 21, 2011

Nós ou Laços

Criamos relações com todo tipo de pessoa e essas relações são duradouras ou até passageiras...
Umas são criadas em algum momento inusitado, outras por vínculos de parentesco.
São várias as circunstâncias... difícil distinguir e colocá-las aqui.
Mas gostaria de denominá-las :

NÓS ou LAÇOS


Nós são bem apertados, nunca desatam se bem feitos. Só se alguém for e puxar um lado do fio...
Relações nós são firmadas, e apesar dos problemas ele está ali, pronto a aguentar.
Mas o nó tem um problema. Sempre um fio fica maior de um lado, não tem como medir.
O nó sufoca um pouco e há apenas um jeito de ajeitá-lo...
Uma pessoa se doa mais que a outra, e pra arrumar o nó, é preciso desmanchá-lo...
Ele não voltará a ser como antes...
Mas enquanto durou foi firme, presente...


Laços são de boa aparência. São usados pra enfeitar.
Muitas pessoas se 'juntam' as outras pra causar boa aparência com uma relação estável.
Isso acontece muito com famosos... mas com gente comum também.
Os laços são medidos propositalmente, pra saber o tamanho e se vai durar muito tempo intacto.
O laço nunca é muito apertado, justo... sempre se desarranja...
As relações laço são assim. Quando o laço leva um impacto, é difícil não se desfazer.
Ele é muito bonito mas sempre esconde um 'tiquinho' de cola, um 'negocinho' qualquer pra se firmar.
Relações laço não se firmam por si. Sempre tem alguém sustentando, ou algum motivo.




Não estou falando aqui somente de relações amorosas, mas também de relações afetivas em geral.
Se elas serão NÓS ou LAÇOS, só o TEMPO dirá...
Ninguém é perfeito, e ninguém consegue ser.



Mas há defeitos que se encaixam com outros defeitos ...


segunda-feira, maio 16, 2011

O Sonho de João

Jão 
Qui só andava di busão
Sonhava cá condução
Resorveu comprá um caminhão
E treiná na direção
Pá vê se ficava bão 
Na boléia era o peão

O caminhão sacudia 
Tremia
E João na gritaria :
- Eita trem bão, vô trabaiá po Tião !

Depoi de alguns dia
Veja que agunia
Parcelado em cinquenta prestação
O motor fundiu
Prestação venceu
Tomaru o caminhão

E Jão...
Ah, João ?

João...

Perdeu o sirviço cô Tião
Vortô a andá di busão
Sonhanu que tava na boléia do caminhão...



Sem Pensar

Não temos tempo nem espaço
Vamos viver tudo de uma só vez
Sem pensar em que pensar
Sem pensar no amanhã
Um beijo, como se fosse o último
Um abraço, o mais quente
E entre nossos braços 

Um laço
Um abrigo


E...
Na gula
Na ânsia
No desejo


Me beije sem pensar 


E...
Amanhã...

Não !

Continue comigo 
Hoje
Agora

E talvez essa combinação se torne

PRA SEMPRE...


Recordações

Enquanto existir amor
Existirão palavras

E quando surgirem palavras
Nelas existirão sentimentos
E quando não existirem...

Inventarei ! 

Como invento os versos, as histórias, as rimas e memórias
Que nunca tive...
Mas sinto, vivo, amo !
E é o que me faz motivo
De sentimentos múltiplos em alguém...



sexta-feira, maio 13, 2011

Contínuo




Andando em círculos, sem nenhuma novidade...
Até as palavras mudarem de lugar.




quarta-feira, maio 11, 2011

Encontro Inesperado

Lindo anoitecer de verão. Ana acordou com o barulho do vizinho. Já eram seis da tarde. A noite passada tinha sido uma loucura. Levantou-se e calçou seus chinelos de pelúcia. Foi ao banheiro, jogou seus sais na banheira e andou depressa até o barzinho da sala de jantar. Pegou a garrafa de vinho mais antiga e foi à cozinha. Abriu-a e tomou um gole. Foi pro banho. A casa sempre era uma bagunça. Ana trabalhava vendendo seus produtos de beleza, mas quase não saia de casa pra fazer clientela, eles vinham até ela. O vinho apetecia seu desejo, que naquela noite era ir a boate do bairro vizinho. Após tomar a garrafa toda, levantou-se zonza e pegou a toalha. Secando-se lembrou dos seus tempos de adolescência. Era uma menina longilínea, cabelos encaracolados e tímida. Pensou em como isso mudou totalmente. Foi andando em direção ao closet. Escolheu seu tão famoso 'tubinho preto' que sempre lhe caía como uma luva em noites tão quentes. Vestiu-o e logo foi arrumando o cabelo. Pegou o vidro de leave-in, despejou um pouco nas mãos e amassou o cabelo. A noite mal havia começado e Ana já estava quase pronta. Começou a se maquiar. Um batom vermelho lhe dava um ar mais escandaloso, e era isso que ela sempre queria passar. Pegou o vidro do seu melhor perfume e praticamente banhou-se dele. A campainha toca. Ela por alguns segundos pensa quem poderia ser naquele horário. Correu em direção a porta. Abriu-a deixando a curiosidade ser morta. Mudou de cor. Era alguém de sua vida, sua história. E ficaram ali, se olhando, sem saber que atitude tomar....



segunda-feira, maio 09, 2011

Pertinho

Não gosto de você tão                                              longe


Eu te quero
                         
 Mais perto
                 JUNTINHO




Selar 
                          Num só beijinho 
                                   




Boa noite !




E dormir em paz.



domingo, maio 08, 2011

Espera

Não se esconda, não vá embora...
Você está linda hoje !
As estrelas são adornos 
Que tornam sua beleza inigualável


Fica ! 
Eu amo ver sua imagem
Refletida nas águas da praia...





F I C A      M A I S      U M       P O U C O ...

  




Presencie         


E encante




O nosso beijo...




Sim, a MINHA FELICIDADE dorme ao meu lado...


sexta-feira, maio 06, 2011

Indecisão

As loucuras que sonhamos, as loucuras que encenamos...

Quem sabe vivê-las por algum tempo...

Ou retê-las por toda eternidade...

Quem sabe.

Quem sabe do futuro realizado é quem intensifica o presente pra que lá na frente diga :

VALEU A PENA.

E o que você decidiu fazer hoje ?

Ficar parado e ver o tempo passar ou se mover em direção ao objetivo ?





O Peso das Palavras

Quais as diferenças entre RESOLVER e DECIDIR ?
O peso é uma delas.
Você pode resolver de imediato ou decidir pra uma vida toda...

Resolvi
Decidi

Aplica-se a todas as situações.
E nos sentimentos...
Você RESOLVE ou DECIDE ?

Se você resolve pode ser para vida toda...

Se você decide pode estar convicto só por aquele segundo...

Depende sim, do peso como eu disse.

DO PESO DO SEU SENTIMENTO.


Boa Música

Uma boa música no ar
Meu coração parece vibrar
Vivo, sim eu vivo...
Mas sem ela eu não consigo ficar !

EU VIVO O QUE OUÇO
E às vezes até canto
Os males espanto
Então deixa rolar...




Verdadeiro Amor

O amor não é uma obrigação, uma entrega sem retorno.

O amor faz com que aquele beijo seja o primeiro, e aquele abraço seja o último...

O amor se renova a cada dia.

O amor está nos olhos que brilham, na felicidade da espera.

O amor não se deixa encontrar e escapar... o amor fica.

O amor não encontra dificuldades, impecílios, barreiras...

O amor se alimenta na distância...

Ele luta até onde pode, com todas as suas forças e continua vivo.

Mas se ele morrer, te responderá que não é ele que estava em seu coração.








Você

Meu coração descompassado...
Meus pés caminham até você 
O tempo passa...
E eu ainda estou aqui
Até quando Deus quiser...
Até quando você quiser...
E até quando você merecer.





Meias Palavras

Meias palavras não explicam... 
Meias palavras confundem.
Palavras são demais se não forem vividas
Palavras são palavras demais

Precisam ser acompanhadas de ações...
Precisam ser vividas.



No Mesmo Ritmo

Somos as escolhas que fazemos.

Maria Bonita após começar a namorar Lampião logo teve que entrar no grupo de cangaceiros. Não sei se para ela era emocionante viver em meio a batalhas ou se sentia obrigada. Mas se ela o amava de verdade, deveria gostar...
Kate Middleton escolheu casar-se com William e com isso terá que se acostumar com os luxos e holofotes sobre a realeza.

Escolha, nem que demore... nem que seja por quase uma vida toda.

Não julgue essa escolha através de sentimentos momentâneos ou apenas vontades... 

Mas se achar que vale a pena e que será uma escolha proveitosa, vá em frente.

Mais vale um momento inesquecível do que um arrependimento eterno.

E que os dois andem no mesmo ritmo.


quinta-feira, maio 05, 2011

Esta Noite

Como disse Pablo Neruda :
Posso escrever os versos mais tristes essa noite...

______


Sim, eu posso !
Não porque a tristeza mora em mim,

Mas hoje ela está aqui.
Diga-se de passagem... espero !




Faz de Conta




Chame os figurantes.
Para mim essa cena já acabou.
Agora só quero esperar o final feliz...




quarta-feira, maio 04, 2011

Meus quase 25 anos

Daqui a pouco menos de dois meses farei vinte e cinco anos.
Não sei se bem vividos, não sei se bem aproveitados.
Ainda não fiz faculdade, não pulei de paraquedas, não viajei fora do País...
Sim, parece ser careta, pareço ser careta.
Achei essa lista interessante e resolvi colocá-la aqui.
Os meus comentários estão entre parênteses...


30 coisas para se fazer antes dos 30

1 - Ficar absurdamente bêbado pelo menos 1 vez na vida ( Sim, já fiquei... é legal ! )
2 - Encontrar alguém da Net ( Depeeeeende ! )
3 - Agarrar um amor platônico ( Não, sempre fui muuuito tímida. )
4 - Se apaixonar a primeira vista ( E quem nunca se apaixonou ? Eu devia ter uns 12 anos... )
5 - Roubar o namorado de alguém ( Se roubei, não sabia. Para mim isso é fora dos padrões... )
6 - Beijar alguém do mesmo sexo ( Sou hetero e nem selinho eu daria. )
7 - Roubar dinheiro dos pais ( Confesso que já peguei, mas devolvi ao ouvir uma oração no rádio. )
8 - Subir num palco e dançar ( Não teria coragem, acho que nem bêbada... )
9 - Transar num lugar público ( Fooooora de cogitação ! )
10 - Fingir ser estrangeiro e falar um idioma que não existe ( Falo uns idiomas estranhos com meus pets... )
11 - Pintar o cabelo de uma cor mto looouca ( Acho que não condiz com minha personalidade. )
12 - Fazer uma Tatoo ( Fiz e não terminei... queria fazer mais mas não gostaria que meus netos vissem com pelancas... minha tatoo é no braço tá ! )
13 - Ter o melhor sexo da sua vida com um idiota ( Isso não respondo nem num divã ! )
14 - Levar o maior tombo na rua ( Ah, isso sim, cheguei com o tênis rasgadão... )
15 - Voltar da balada e dormir com a roupa que saiu ( Normal, quem não fez isso ? )

16 - Se jogar na piscina de roupa ( Não sei  nadar e tenho trauma de água... )
17 - Fugir de casa para sempre e voltar no outro dia ( Fiz a trouxinha do Chaves mas nem saí do portão... )
18 - Ir numa boate gay (GLS) ( Ah, não é minha cara isso... )
19 - Passar uma semana a base de sorvete e chocolate, entre outras besteirinhas ( Sim, pequei ! )
20 - Tomar banho de praia a noite ( Não ! Nossa, uma ótima ideia ! Nunca pensei em fazer isso... )
21 - Ter um peixe e conversar com ele ( Já tive e conversava muuuuito ! )
22 - Encontrar um ídolo ( Já fiz, mas nada de tão louco, não sou FÃnática... )
23 - Sacanear um desconhecido ( Poutz... isso não lembro se fiz... )
24 - Chorar vendo um desenho ( Ah, isso eu faço quase sempre... )
25 - Compor uma música ( Sim, já fiz... o duro é a melodia... )
26 - Viajar sozinho ( Sim, é horrível... )
27 - Se apaixonar por um amigo (a) ( É comum confundir sentimentos... )
28 - Dormir no ônibus, metrô, táxi, etc ( e descer no ponto errado ) ( Já fiz mas acordei no ponto certo. )
29 - Encontrar um amor ( Fala sério, DÃR ! )
30 - Dizer EU TE AMO ( E quem nunca disse ? )





Farei uma lista de desejos para realizar antes dos 60. 
Algumas coisas planejadas perdem a graça fácil... pretendo não planejar mais. ( Algumas coisas ! )
Deixa o tempo se encaminhar de outras...



segunda-feira, maio 02, 2011

Medida

Chuva.
Pego o guarda-chuva ou me deixo molhar pela água fria ?
Se eu me proteger não poderei me deliciar nas poças...


Vendaval.
Fico em casa ou tento pegar as folhas que o vento leva ?
Se eu fico em casa não sentirei o vento contra meu corpo...


Sol.
Me esquento em seus raios ou me queimo sem protetor ?


Escolhas. 
              ARRISCAR-SE na medida certa.


E há medida certa para viver ?





Vida

Nascemos, choramos, crescemos, andamos, falamos, crescemos, brincamos, estudamos, crescemos, 
Trabalhamos, rimos, beijamos, ficamos, namoramos, casamos, reproduzimos, envelhecemos, morremos...


Em meio a tudo isso : AMAMOS.


Poetas Nascem

Poetas nascem de amores desfeitos ou intensos
De tristezas e palavras perdidas
Juntadas, remendadas e escolhidas
Papéis, teclas, horas ou momentos


Poetas nascem de seriedade ou descontração
Medos, desejos, palavras a se perder
E delas saem outras, sem querer
Numa intensa e misteriosa multiplicação


Ser poeta é inconformar-se e dilatar-se 
Jorrar palavras, amar as rimas
E nas palavras entreter-se, e derreter-se...


Desabafos, desencontros. Escrever !
O causar de um desalento detalhar, com amor
O que muitos, infelizmente, não vão ler.



Entrelinhas Amorosas

Uma nota, um dedilhado no violão. César ia anotando em seu caderninho e a cada nota, a cada palavra, sentia seu coração pulsar mais rápido, exalando seu sentimento através da canção que surgia. Naquela tarde de frio, César resolveu confessar seu amor escrevendo uma música. Em seu pensamento jamais tocá-la, ou apenas dizê-la à amada Odete. O "amor" se pudesse ser chamado por isso aquele sentimento, era considerado impossível ao seu ver. Resolveu levantar. Após horas sentado em sua poltrona, colocou o "companheiro", como assim chamava seu violão em cima da mesinha e foi até o armário. Perdida entre as últimas louças, lá estava a garrafa procurada : Martini. Pegou a garrafa e logo virou o último gole que restava da bebida. Parecia doce, mas não o suficiente. Levou a mão ao bolso e abriu a carteira. Lá estava a foto dela, um recorte de jornal. Odete, linda moça de cabelos cor do sol, musa inspiradora de sua canção. Não querendo olhar, levou a mão junto aos níqueis que lhe restavam e colocou-os no bolso da frente. Foi em direção ao porquinho que conservava intacto desde o início do mês. Não pensou duas vezes e jogou-o no chão. Mesmo agachado  contou o dinheiro. Exatos trinte e três reais. Pegou o casaco em cima do sofá e foi em direção à porta. Seu destino era qualquer bar. Andou uns trezentos metros parou. Pensou, pensou e decidiu : Não ia trocar mais o trajeto. Seguiu em frente. Resolveu atravessar a rua pra não dar na cara. E o inesperado mais previsível aconteceu : Odete estava na janela. E olhando perplexo para sua direção, seu coração acelerou. Não prestou atenção em mais nada. Perdeu o controle dos pés e parou. Os dois fixaram os olhares por alguns minutos e partiu dela um grito estridente que mais  lhe pareceu uma voz doce : - Oi ! Aquele simples oi foi a melhor coisa que lhe aconteceu durante aqueles meses. Já não sabia se mantinha esperanças ou se desistia, afinal foi um simples oi...

Letras Perdidas

Quando o coração se quebra em mil pedaços
Estilhaços de um sonho são jogados ao vento
Você se sente retraído e sufocado por um mundo estranho
Em que tudo parece ser diferente e não quer mais estar aqui.

Os problemas das pessoas para você existem soluções.
Mas parece que não consegue se mover perante os obstáculos
Não consegue achar a solução

Então a lágrima parece ser a alternativa
De se escapar, tentar fugir, se esconder
Mascarar os fatos, os momentos...


Elas rolam pela face, causam um dano ao coração.
Penso porque tudo parece ser monstruoso aos outros
E para você é simples demais.
Porque tanta tristeza dentro de você, porque tantas palavras

                         Que não pode dizer.

A cada minuto você percebe que é o momento de recomeçar
E fazer tudo novamente.
Onde ficou o amor essa hora? Totalmente perdido entre tempestades e trovões.

Aliás, se ele existisse.


Sem respostas claras.
Prefiro as lágrimas solitárias, os pensamentos, as letras, as músicas.

        Não fazem esquecer mas amenizam a dor.




Texto escrito em : 22/01/2007